sábado, 30 de novembro de 2013

#Nós! #Corrupção  #Brasil . 



Temos a corrupção política, a corrupção de servidores e de cidadãos desonestos. A corrupção sempre tem dois lados, um corrompendo e outro sendo corrompido.
É nítido que a máquina pública está comprometida. Desde criança escutamos falar sobre a tal da corrupção, agora vemos, todo dia, ao vivo e a cores na TV.
onde temos uma mídia comprada, manipulada pelo sistema capitalista, acobertando e  distorcendo a  mais pura realidade de um Brasil sofrido.
Na esfera política estamos cada dia sendo vitima  da brutalidade de pessoas sem escrúpulos  que usa o poder publico para projetos pessoais, aniquilando as classes menos favorecidas, esquecendo de um bem comum para todos.
A falta de  investimento  na Educação, saúde , Esportes. a falta de compromisso com o povo, que a cada dia vem perdendo a esperança de um mundo melhor, como mais igualdade sem preconceito. 
Se pararmos para pensar, no final das contas, mesmo que inconscientemente, somos nós que financiamos toda essa corrupção. Os corruptos visam o dinheiro público, que em última análise é o seu dinheiro e o meu dinheiro, que disponibilizamos para a manutenção da sociedade.
É  hoje  olhamos e não conseguimos enxerga a mudança que desejamos de sociedade diferenciada, mais  justa, com mais  jovens  nas universidades, crianças nas escolas.
Acredito em um Brasil onde as ruas sejam apenas Palco de revoluções, de manifestações populares em busca de sonhos reais.
infelizmente  hoje as ruas tem  um cenário amedrontador, se torna tão claro como a luz do sol, vermos crianças no sinal, jovens  no mundo da criminalidades nos altos consumo de drogas, mulheres e meninas  usando seu  corpo como fonte de dinheiro na prostituição. isso são coisas que nos entristecem pelo simples fatos de estamos de mão atadas a meio a tanta corrupção e o povo sofrendo por conta disso.
Temos culpa, somos culpados.
Na medida em que os recursos destinados a financiar hospitais, escolas, saneamento básico e outras necessidades primárias são desviados, debaixo de nossos narizes, e não tomamos qualquer atitude, também temos nossa parcela de culpa, por uma simples questão de omissão.
podemos mudar isso ? 
A situação pode, sim, ser mudada. Desde que você e eu nos manifestemos abertamente, pois nossa manifestação, quando multiplicada, gerará a necessária mudança da opinião pública  .

quarta-feira, 16 de outubro de 2013


                  A Vida Que Ninguém Vê

Em 1999, entrevistar Adail José da Silva, um carregador de malas do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, para a coluna semanal de reportagem que eu mantinha aos sábados no jornal Zero Hora, intitulada 
“A Vida Que Ninguém Vê”. Um trecho de nosso diálogo foi este: 
E como os fregueses o chamam?
- Os doutor me chamam assim, ó: “Ô, negão!” Eu acho até que é carinhoso.
- O senhor chama eles de doutor?
- Pra mim todo mundo é doutor.
 Pisou no aeroporto é doutor.
 É ó, doutor, como vai, doutor, é pra já, doutor....

- É esse o segredo do serviço?

- Tem que ter humildade. Não adianta ser arrogante. Porque, se eu fosse um cara importante, não ia tá carregando a mala dos outros, né? Sou pé de chinelo. Então, tenho
que me botar no meu lugar.
A forma como Adail via o mundo e o seu lugar no mundo – a partir da forma como os outros viam tanto ele quanto seu lugar no mundo – contam-nos séculos de História do Brasil. Penso, porém, que temos avançado nas últimas décadas – e especialmente nessa última. O “doutor” usado pelo porteiro para tratar o condômino, pela empregada doméstica para tratar o patrão, pelo engraxate para tratar o cliente, pelo negro para tratar o branco não desapareceu – mas pelo menos está arrefecendo. 
Se alguém, especialmente nas grandes cidades, chamar hoje o outro de “doutor”, é legítimo desconfiar de que o interlocutor está brincando ou ironizando, porque parte das pessoas já tem noção da camada de ridículo que a forma de tratamento adquiriu ao longo dos anos. Essa mudança, é importante assinalar, reflete também a mudança de um país no qual o presidente mais popular da história recente é chamado pelo nome/apelido. Essa contribuição – mais sutil, mais subjetiva, mais simbólica – que se dá explicitamente pelo nome, contida na eleição de Lula, ainda merece um olhar mais atento, independentemente das críticas que se possa fazer ao ex-presidente e seu legado. 

                                    

Historicamente, o (doutor)  se entranhou na sociedade brasileira como uma forma de tratar os superiores na hierarquia socioeconômica – e também como expressão de racismo. Ou como a forma de os mais pobres tratarem os mais ricos, de os que não puderam estudar tratarem os que puderam, dos que nunca tiveram privilégios tratarem aqueles que sempre os tiveram. O “doutor” não se estabeleceu na língua portuguesa como uma palavra inocente, mas como um fosso, ao expressar no idioma uma diferença vivida na concretude do cotidiano que deveria ter nos envergonhado desde sempre.  

domingo, 26 de maio de 2013


NUNCA VAMOS DEIXA DE ACREDITAR 


     Isso não te abala, nem se que em comoda, apenas uma imagem de uma criança chorando com fome meio a um lixão, olhamos e ignoramos ou sentimos um aperto passageiro, mais se que se preocupamos em mudar tais coisas. Mais na verdade isso é um absurdo, onde uma criança que deveria estar nos braços de sua família de seus amados, recebendo amor carinho, uma educação de qualidade, respeito, condições de viver em paz e viver feliz. mais isso não e um caso isolado, o mundo esta completamente na tampa, extremamente no fim.
  onde podemos ver clar
amente a imensidão de jovens nas ruas, passando fome, nos altos consumos de produtos químicos ..Drogas.. crianças nas beiras de calçadas nos sinais das rodovias e pouco tem se feito para reverte essa situação. se saímos nas ruas já podemos enxerga a desigualdade entre os seres  humano.
Em quanto  uma pequena parte da sociedade passa nos seus carrões, entram em suas mansões de luxo, a outra grande maioria da sociedade passa fome, sofre preconceito, tenta sobreviver ao sistema capitalista. 
  um dia quem sabe isso possa mudar, mais talvez não nesse estado evolutivo que se encontra a  humanidade   terrestre, onde aqueles que constrói são os menos que destrói, onde aqueles que estão ali para representa o povo, estão é roubando o povo. 
  Fico triste porque sei que essa geração não poder desfrutar das mudanças reais, e acredito que muitas gerações iram passa e não vão ter o prazer de ver crianças longe das drogas, jovens longe da criminalidade, longe da prostituição.. 

Mais aqui estamos e nunca vamos deixa de acreditar que isso possa mudar um dia.. 

sábado, 25 de maio de 2013

 A POUCOS SONHOS. 



Seria maravilhoso se todas as pessoas deixassem de ser tão egoístas. Só assim teríamos um mundo mais unido, um Brasil menos pobre, menos sofrido, menos miserável e crianças mais alegres e menos desnutridas. Como isso seria bom. Mas, infelizmente, os homens do poder só conseguem enxergar o capitalismo, o dinheiro, a fortuna e a discórdia.
Não podemos nos acostumar com esse tipo de situação, na qual todos conseguem ser felizes vendo crianças, mulheres, homens sofrendo e morrendo todos os dias. Esse mundo desigual não pode existir. Se cada um fizer um pouquinho para mudar esse cenário tão assustador com certeza todos têm a ganhar. O que não pode é ser feliz enquanto muitos choram de tristeza e de fome.
Não é preciso fazer muito esforço, nem ao menos deixar de viver. O que realmente se faz necessário é ajudar as crianças, os idosos, os mendigos, os pobres... Pois é assim que tudo começa, com um simples passo, uma simples ajuda, uma palavra de incentivo, um carinho e amor. E dessa forma, a autoestima começa a florescer e todos começam a ser bem melhores, e o mundo talvez deixe de ser tão desigual e amedrontador.
Vamos nos unir, vamos nos fortalecer para que esse dia possa realmente chegar. E o mundo consiga ''caminhar de braços unidos'', na paz, no amor, na alegria e sem a imagem daquelas crianças tristes, sujas, morrendo e sem ter do que comer. Enquanto não existir esse sentimento de mudança, não existirá um mundo de igualdade a todos. Temos que fazer  o bem para não deixarmos as crianças pararem de acreditar, sonhar por não terem condições suficientes para viver.
    a cada dia presenciamos mais jovens nas drogas nas ruas no crime na prostituição, sem um perspectiva de vida. sem poder sorrir, convivendo lado a lado com o preconceito com a descriminalização. ate quando vamos ser vitima de tanta desigualdade, ate quando vamos ta levando porrada, sendo usado como massa de manobra, como escudo da elite e do sistema.
ate quando ....

quarta-feira, 15 de maio de 2013



                                            Grandes Batalhas 
                        Grandes Vitorias  





Sempre acreditamos em grandes sonhos, e lutamos para realizamos, grandes guerras foram travadas ao decorrer dos anos, grandes vitorias alcançadas, grandes transformações que mudaram a  historia desse Estado que se chama Acre. 
Um mudança que começou a 14 anos atras com o Partido dos trabalhadores PT. que decidiu toma partido da situação que se encontrava o estado, em completa ruína  e degradação, sucateamento e miséria.
É passo a passo, a cada gota de sangue a cada gota de suor os objetivos os sonhos foram sendo alcançados, a cada vitoria a cada desafio. 
   O orgulho a dignidade o valor foi posto para o povo do Acre, onde reconheceu o trabalho feito pelos Trabalhadores que foram a guerra e venceram, que foram em busca de conquista o impossível, em busca de conquista objetivos reais para transforma a classe menos favorecidas, e da uma esperança uma chance de algo melhor. 
  É hoje  nos  encontramos em outra Guerra, em mais uma batalha, contra a corrupção contra pessoas sem escrúpulos que tenta desfazer um trabalho honrado, digno de muitos anos, de um projeto que modificou a vida de milhares de pessoas, todos os acontecimentos que estão surgindo é prova que sempre vamos ter Batalha para trava, Guerras para vencer, então pouco me espanta com  certas coisas, pois um partido que veio de grandes vitorias não pode se abala perante os desafios, isso só vai nos mostra o quanto somos guerreiros, o quando somos leões, o quanto acreditamos  em um processo limpo e claro, e o quanto confiamos nas pessoas que deram suas vidas para torna esse Estado em referencia de politicas publicas, em um lugar maravilhoso para mora, onde viveu pessoas que ate hoje esta em nossas mentes, pelos seus atos, como chico mendes Wilson Pinheiro e muitos outros. 
 Muito me alegra as Batalhas porque grandes serão  as vitorias, e o povo do Acre não pode ser abala diante de pequenas falha, pois o melhor ainda esta por vim, e tenho certeza que o Acre ainda vai continuar crescendo, mudando e desenvolvendo com esse projeto de transformação que o Partido dos Trabalhadores  
acredito e acredita ate  hoje. 
Sem Mais ... 


domingo, 5 de maio de 2013


EU DISSE GUERRA

Acho que desde que aprendemos a nos comunicar uma questão é sempre posta: somos iguais ou somos diferentes como pessoas? Durante muitos anos a resposta dizia que, sim, éramos diferentes, e não só pela cor da pele, dos cabelos, dos olhos. Foi nesta diferença que se basearam todos os argumentos raciais, traçando a superioridade de uma raça sobre a outra.

Nos tempos mais modernos, o argumento racional foi perdendo força. Chegamos, então, à pesquisa de genes e, com ela, veio a certeza que somos todos humanos, não importa se negros, brancos, amarelos, mulatos ou pardos. 
não importando se somos baixos, altos, magros, gordos, olhos azuis ou não. Geneticamente somos formados do mesmo material 
Vamos valoriza os movimentos Estudantis, movimentos sociais e as lutas de classe..




Edson Luís de Lima foi um estudante secundarista brasileiro assassinado pela Polícia militar durante um confronto no restaurante Calabouço, centro do Rio de Janeiro. Edson foi o primeiro estudante assassinado pela Ditadura militar e sua morte marcou o início de um ano turbulento de intensas mobilizações contra o regime militar
o comandante da tropa da PM, aspirante Aloísio Raposo, atirou e matou o secundarista Edson Luís com um tiro a queima roupa no peito. Outro estudante, Benedito Frazão Dutra, chegou a ser levado ao hospital, mas também morreu..
Mataram um estudante. Podia ser seu filho!
Vamos valoriza os movimentos Estudantis, movimentos sociais e as lutas de classe..
Pessoas deram suas vida. por mais dignidade por mais liberdade..